Assédio moral não é um simples conflito

 

Professor Roberto Heloani durante a palestra no Fórum de Gestão Pública / Crédito: Marco Nunes

Com grande número de participantes, o Fórum de Gestão Pública começou hoje de manhã com a palestra do professor Roberto Heloani, sobre “Assédio Moral no Trabalho: causas e consequências”.

Heloani salientou que o assédio moral é uma atitude frequente, intencional e composta por uma sequencia de danos morais, provocando perda de autoestima, ansiedade e em alguns casos pode levar até mesmo ao suicídio. As formas desta violência psicológica podem de diversas maneiras, sendo que o descendente, ou seja, do superior ao subordinado, é o mais comum. Mas também há casos de assédios ascendentes, quando um grupo de subordinados resolve boicotar o chefe.

Outra consideração que Heloani relacionou foi o limite entre o pessoal e o profissional. Para ele, o uso das novas tecnologias, como smartphones e notebooks, permitem encontrar os profissionais em qualquer lugar. “Fica cada vez mais difícil delimitar onde acaba a empresa e começa a minha casa”, disse.

Agir de forma adequada após a constatação do assédio moral também é um desafio do mundo corporativo, que não deve ser transformado em um ambiente de guerra. O procedimento correto das organizações é investigar e não esconder para debaixo do tapete, demitindo os envolvidos. “Só uma cartilha não resolve, é preciso ir além”, concluiu.

Neste momento, acontece o painel “Ética, Saúde Mental e Aspectos Legais e Institucionais do Assédio Moral”.

Agende-se para o Fórum de Gestão Pública

Com participação gratuita para os inscritos no CONGREGARH 2011, a segunda edição do Fórum de Gestão Pública abre espaço para discussão de assuntos relacionados à gestão do serviço público.

Neste ano, o evento traz o tema Assédio Moral nas Organizações Públicas e acontece no dia de abertura do congresso, 18 de maio, das 8h30min às 15h30min. O Prof. Dr. Roberto Heloani inicia a discussão com a palestra “Assédio Moral no Trabalho: causas e consequências”. Em seguida, acontece o painel “Ética, Saúde Mental e Aspectos Legais e Institucionais do Assédio Moral”, com a participação da psicóloga e mestre em Psicologia Social e Institucional, Patrícia Gomes Kirst; com o diretor de Recursos Humanos do Tribunal Regional do Trabalho 4ª Região (2002/09), Rene Kapitansky; com o procurador do Trabalho desde 1996, Viktor Byruchko Junior e com Fernanda Amador, psicóloga com pós-doutorado em Educação. O encerramento será com a ministra-chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário que abordará “Assédio Moral na Administração Pública”.

Tem interesse em participar do debate e não confirmou a presença no momento da inscrição? Entre em contato pelo telefone (51) 3254-8258 ou pelo e-mail congregarh@abrhrs.org.br.